Desfralde sem complicações

29.09.2017

 

Fonte: Zero Hora

 

Veja dicas para ajudar seu filho a parar de usar fraldas

 

Existe idade certa para tirar as fraldas do bebê? Como inicio esse processo? O que devo e o que não devo fazer? Essas são algumas dúvidas recorrentes entre os pais durante o período de desfralde dos filhos.

 

Embora cada criança tenha o seu tempo, que deve ser respeitado, o processo de retirada das fraldas pode começar a partir dos dois anos, segundo especialistas. Antes disso, geralmente elas não estão prontas para o desfralde.

 

- Antigamente, quando as fraldas eram de pano, as pessoas queriam tirar o mais cedo possivel porque assava, tinha que quarar. Hoje, sabe-se que, antes dos dois anos, não tem necessidade. Para estar pronta para o desfralde, a criança primeiro precisa desenvolver outras habilidades, como ficar de pé, caminhar, se afastar do pai e da mãe. Ela precisa ter capacidade de controle do próprio corpo - explica o pediatra José Paulo Ferreira, do Hospital Mãe de Deus.

 

PROCESSO COSTUMA TER TRÊS FASES

 

Segundo o médico, essa etapa acontece de forma natural e, geralmente, divide-se em três fases. No primeiro momento, a criança faz as necessidades nas fraldas e nem percebe. Depois, ela começa a avisar quando já fez xixi ou cocô e, no último estágio, sinaliza quando esta prestes a fazer ou um pouco antes.

 

Outro ponto que deve ser salientado é que o desfralde é um processo que deve ocorrer preferencialmente em casa.

 

- Muitos pais querem transferir essa responsabilidade para a escola, mas é um momento familiar.

 

Claro que eles podem pedir ajuda para a professora, assim a criança mantém o ritmo - diz Mariane Franco, presidente do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

 

Com a ajuda dos dois especialistas, reunimos algumas dicas importantes sobre esse período.

Na hora certa

 

- Não adianta antecipar. A idade mais indicada para iniciar o desfralde é entre dois e três anos. Antes, os pequenos ainda não conseguem dominar os músculos responsáveis pelo controle da urina.

 

- Não significa que com dois anos e um mês deva-se começar o desfralde - observa o pediatra José Paulo Ferreira.

 

Ele critica as creches que têm como pré-requisito para mudança de turma o não uso das fraldas:

- Cada criança tem seu tempo. Agora, se com cinco ou seis anos ela ainda não tirou as fraldas, tem algo de errado.

 

- Quando a criança consegue controlar o xixi e o cocô de dia, começamos com as técnicas para não fazer à noite. É importante conversar com o pequeno sobre o desfralde e evitar dar muita água depois das 19h.

 

Ao começar a retirada, o ideal é que os pais estejam mais disponíveis para acompanhar os pequenos. Preferencialmente, deve-se optar por fazê-lo em um período de férias ou fim de semana prolongado. A época do ano também é relevante: no verão, é mais fácil iniciar o processo em função da menor quantidade de roupas.

 

Penico na medida

 

- Penicos coloridos e com personagens lúdicos ajudam e são boas opções para esse período. Na hora de escolher um, é bom prestar atenção no tamanho, que deve ser adequado à altura da criança. Sentada, ela deve ficar com os pés encostados no chão e as pernas em um ângulo de 90 graus. Também dá para usar o redutor de vaso sanitário. Para ajudar a criança, coloque um banquinho ou caixote, para que ela suba com segurança e mantenha os pés apoiados, o que facilita na hora de fazer força para evacuar.

 

- É obrigatório ter o apoio para fazer a prensa abdominal. As pernas não podem ficar no ar - destaca Ferreira.

 

Assim como os penicos, calcinhas e cuecas divertidas também dão uma mão na hora de tirar as fraldas.

 

Sem alarde

 

- Para os pequenos, esse é um momento muito íntimo. Portanto, fuja do alarde cada vez que ele avisar que precisa ir ao banheiro.

 

- É um momento particular da criança. Uns pedem para ir ao banheiro, outros não avisam. Os pais precisam observar como é o filho: é quieto, fala mais? - diz Mariane.

 

É importante que, depois de estabelecidos os códigos de comunicação entre família e criança, a escola seja informada.

 

Não "compre" a criança

 

- Evite condicionar a criança a ganhar algum bem material em troca do xixi no penico. Os pediatras sugerem que os pais "premiem" os pequenos com carinhos, elogios e demonstrações de afeto cada vez que eles pedirem para ir ao banheiro.

 

- Não se pode fazer um mecanismo de troca, dar presente cada vez que ele fizer xixi direitinho. Pode-se trocar carinhos: incentivar com beijos e abraços - indica Mariane.

 

Ferreira completa:

 

- Ela pode ser elogiada quando acertou, mas também não em excesso. Não há necessidade de recompensa porque é algo fisiológico.

 

Por outro lado, quando a criança não conseguir segurar o xixi ou o cocô, os pais não devem, sob hipótese alguma, xingar ou ter atitudes negativas. O indicado é consolá-la dizendo que está tudo bem, que na próxima ela consegue.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Destacados

Dicas para escolher o pediatra ideal

September 22, 2017

1/3
Please reload

Procure por Tags
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook Black Round

Conversando com os pais

Av. Protasio Alves, 2715 SL 1101

Porto Alegre / RS

Tel: (51) 3334-0296

zepaulo1963@gmail.com