Meningite

03.04.2019

 

 

Devido as ultimas noticias na mídia sobre preocupação com um possível surto de meningite venho tranquilizar os pais quanto a estes fatos. Atualmente não temos no Rio Grande do Sul nenhum surto de meningite. Temos casos isolados que sempre existiram e vão continuar a existir. Trago abaixo informações valiosas sobre as vacinas de meningite disponíveis nas redes públicas e privadas. Dados estes obtidos do site da SBIM- Sociedade Brasileira de imunizações. Lembrando que a prevenção (vacinação) é muito mais seguro e eficienmte. Vacine seus filhos!!!

 

Vacina meningocócica C conjugada ( Disponível nos postos de saúde)

 

O que previne:

 

Doenças causadas pelo meningococo C.

 

Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença .

Indicação:

 

· Para crianças, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) disponibiliza três doses da vacina: aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses (podendo ser aplicado até os 4 anos). As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam que, além dessas doses, sejam feitos reforços entre 5 e 6 e aos 11 anos de idade.

 

· Para adolescentes de 12 e 13 anos, o PNI oferece dose única ou reforço, de acordo com a situação vacinal. A SBP e a SBIm recomendam, para os não vacinados, duas doses com intervalo de cinco anos.

 

· Para adultos e idosos, dependendo da situação epidemiológica.

 

· Para pessoas de qualquer idade com doenças que aumentem o risco para a doença meningocócica.

 

· Para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença.

Contraindicação:

 

Pessoas que tiveram anafilaxia após uso de algum componente da vacina ou a dose anterior.

Esquemas de doses: · O PNI disponibiliza três doses da vacina: aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses (podendo ser aplicado até os 4 anos). As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam que, além dessas doses, sejam feitos reforços entre 5 e 6 e aos 11 anos de idade. · Para adolescentes, a SBP e a SBIm recomendam duas doses com intervalo de cinco anos, preferencialmente da vacina meningocócica conjugada ACWY. O PNI, a partir de 2017, passou a disponibilizar uma dose para adolescentes de 12 e 13 anos (como reforço do esquema infantil ou como dose única nesta faixa etária)

 

· Para adultos, somente em situações que justifiquem, em dose única.

 

· A SBIm recomenda que a vacina meningocócica conjugada quadrivalente (ACWY) seja preferida para crianças, adolescentes e adultos, visto conferir proteção para três outros tipos de meningococos, além do C. Em todas essas faixas etárias, na impossibilidade de usar a vacina ACWY, deve-se utilizar a meningocócica C

 

· Via de aplicação:

 

Intramuscular.

 

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

 

· Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação.

 

· Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.

 

· Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Em casos mais intensos pode-se usar medicação para dor, sob recomendação médica.

 

· Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.

 

· Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais que 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

 

Efeitos e eventos adversos:

 

· As reações, quando acontecem, manifestam-se nas primeiras horas após a vacinação e melhoram em cerca de 72 horas. Em mais de 10% dos vacinados ocorrem: vermelhidão, inchaço, dor ou sensibilidade no local da aplicação; dor de cabeça (principalmente em adultos). Em crianças com menos de 2 anos podem ocorrer vômitos, diarreia, inapetência, sonolência e agitação.

 

· Entre 1% e 10% dos vacinados são acometidos por febre maior ou igual a 38°C, irritabilidade, choro intenso (em crianças com menos de 2 anos) e dores musculares.

 

· Muito raramente (em menos de 0,01%) ocorre aumento de gânglios, nódulo no local da aplicação, reação alérgica grave (chiados, inchaço facial, queda da pressão, dificuldade de respiração), tontura, convulsões, flacidez dos músculos, enjoo, dor na barriga, manchas na pele, problemas de rim, dermatite com formação de bolhas na pele, urticária.

 

Onde pode ser encontrada:

 

· Nas Unidades Básicas de Saúde, para crianças de 3 meses a menores de 5 anos de idade e para adolescentes de 12 e 13 anos.

 

· Nas clínicas privadas de vacinação, para crianças a partir de 2 meses, adolescentes e adultos.

· Nos Centros de Referência em Imunobiológicos Especiais (Cries), para pessoas com algumas condições clínicas específicas de risco para a doença.

 

FONTE: https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/69-vacina-meningococica-c-conjugada

 

Vacina Meningocócica conjugada quadrivalente — ACWY

 

O que previne:

 

Meningites e infecções generalizadas causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença.

 

Indicação:

 

· Para crianças e adolescentes, conforme recomendações das sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e Imunizações (SBIm).

 

· Para adultos e idosos, dependendo da situação epidemiológica.

 

· Para pessoas de qualquer idade com doenças que aumentem o risco para a doença meningocócica.

 

· Para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença.

 

Contraindicação:

 

Pessoas que tiveram anafilaxia após o uso de algum componente da vacina ou após dose anterior.

 

Esquema de doses:

 

· As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam o uso rotineiro dessa vacina para crianças, adolescentes e adultos. Na impossibilidade de usar a vacina ACWY, deve-se utilizar a vacina meningocócica C conjugada.

 

· Para crianças, a vacinação deve iniciar aos 3 meses de idade com três doses no primeiro ano de vida e reforços aos 12 meses, 5 anos e 11 anos de idade. Para adolescentes que nunca receberam a vacina meningocócica conjugada quadrivalente — ACWY, são recomendadas duas doses com intervalo de cinco anos.

 

· Para adultos, dose única.

 

Via de aplicação:

 

Exclusivamente pela via intramuscular profunda.

 

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

 

· Não são necessários cuidados especiais antes da vacinação.

 

· Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.

 

· Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Em casos mais intensos pode-se usar medicação para dor, sob recomendação médica.

 

· Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.

 

· Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

 

· Pode ser aplicada no mesmo momento em que a vacina meningocócica B.

 

Efeitos e eventos adversos:

 

· Em 10% dos vacinados ocorrem: inchaço, endurecimento, dor e vermelhidão no local da aplicação; perda de apetite; irritabilidade; sonolência; dor de cabeça; febre; calafrios; cansaço; e dor muscular. Entre 1% e 10% dos vacinados apresentam sintomas gastrintestinais (incluindo diarreia, vômito e náusea); hematoma grande no local da aplicação; erupções na pele e dor nas articulações. Em 0,1% a 1% dos vacinados ocorrem: insônia; choro persistente; sensibilidade diminuída da pele no local da aplicação; vertigem; coceira; dor muscular; dor nas mãos e pés e mal-estar. Em 0,01% a 0,1%, principalmente em adultos, acontece inchaço extenso no membro em que foi aplicada a vacina, com frequência associado à vermelhidão, algumas vezes envolvendo a articulação próxima ou inchaço de todo o membro.

 

· As reações tendem a desaparecer em até 72 horas.

 

Onde pode ser encontrada:

 

Em clínicas privadas de vacinação.

 

FONTE: https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/70-vacina-meningococica-conjugada-acwy

 

Vacina meningocócica B

 

O que previne:

 

Meningites e infecções generalizadas causadas pela bactéria meningococo do tipo B.

Trata-se de vacina inativada, portanto, não causa infecção.

 

Indicação:

 

· Para crianças e adolescentes, conforme recomendações das sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e Imunizações (SBIm).

 

· Para adultos com até 50 anos, dependendo de risco epidemiológico.

 

· Para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença.

 

· Para pessoas de qualquer idade com doenças que aumentem o risco para a doença meningocócica.

 

Contraindicação:

 

Pessoas que tiveram anafilaxia após uso de algum componente da vacina ou após dose anterior.

Esquema de doses:

 

· As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam o uso rotineiro de quatro doses da vacina meningocócica B aos 3, 5 e 7 meses de vida e entre 12 e 15 meses.

 

· Para adolescentes não vacinados antes, a SBP e a SBIm recomendam duas doses com intervalo de um mês.

 

· Para adultos com até 50 anos, em situações que justifiquem: duas doses com intervalo de um mês.

 

· Para crianças mais velhas que não foram vacinadas o esquema de doses varia conforme a faixa etária (ver quadro a seguir):

 

Faixa etária de início da vacinação Número de doses do esquema primário Intervalo entre doses

 

Reforço

 

 

 

Via de aplicação:

 

Intramuscular.

 

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

 

· A administração de paracetamol antes ou logo após a vacinação pode reduzir o risco de febre e não interfere na resposta imune à vacina.

 

· Não são necessários outros cuidados especiais antes da vacinação.

 

· Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.

 

· Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação.

 

· Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.

 

· Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas

(dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

 

· Evitar aplicação simultânea com as vacinas tríplice bacteriana, pneumocócica conjugada, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite e hepatite B, para reduzir chance de febre alta após a vacinação. Pode ser aplicada no mesmo momento em que as vacinas meningocócicas ACWY ou C.

 

Efeitos e eventos adversos:

 

· Em crianças menores de 2 anos, febre alta com duração de 24 a 28 horas pode ocorrer em mais de 10% dos vacinados. Quando a vacina é aplicada junto com a tríplice bacteriana acelular, pneumocócica conjugada, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite e hepatite B, esse percentual aumenta para 69% a 79%. Por isso é preferível não aplicá-las no mesmo dia.

 

· Em crianças até 10 anos, em mais de 10% dos vacinados acontecem: perda de apetite; sonolência; choro persistente; irritabilidade; diarreia; vômitos; erupções na pele; sensibilidade no local da aplicação e ao movimentar o membro onde foi aplicada a vacina; reações locais (dor, calor, vermelhidão, inchaço). Em 0,01% a 0,1% ocorrem urticária e outras reações alérgicas. Até o momento não foi observada anafilaxia.

 

· Em mais de 10% dos vacinados com mais de 11 anos ocorre cefaleia; náuseas; dor nos músculos e articulações; mal-estar e reações locais, como inchaço, endurecimento, vermelhidão e dor. A dor pode ser muito intensa, atrapalhando a realização das atividades cotidianas. Não é conhecido o risco para anafilaxia, e reações alérgicas graves não foram verificadas durante os estudos com a vacina.

 

Onde pode ser encontrada:

 

Em clínicas privadas de vacinação.

 

Resultados da vacinação:

 

Em 2014 ocorreram surtos de meningite meningocócica B em universidades americanas. A vacinação de bloqueio dos estudantes conseguiu controlar tais surtos.

 

FONTE : https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/71-vacina-meningococica-b

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Destacados

Dicas para escolher o pediatra ideal

September 22, 2017

1/3
Please reload

Procure por Tags
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook Black Round

Conversando com os pais

Av. Protasio Alves, 2715 SL 1101

Porto Alegre / RS

Tel: (51) 3334-0296

zepaulo1963@gmail.com